Você está aqui: Página Inicial / Blog / Amazonas e Espírito Santo estudam a adoção de plataforma digital para controle de resíduos industriais

Amazonas e Espírito Santo estudam a adoção de plataforma digital para controle de resíduos industriais

Com colaboração técnica da Abetre, o Sistema MTR já é utilizado em três estados brasileiros

Três estados brasileiros estão um passo à frente no desenvolvimento de ferramentas digitais para controle de resíduos industriais e no desenvolvimento de políticas públicas na área ambiental. Amazonas e Espírito Santo estão trabalhando com a perspectiva de, nos próximos meses, implantar o Sistema MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos), um projeto concebido e desenvolvido em parceria com Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), que obriga as empresas a declarar a geração e o destino dos resíduos gerados.

Santa Catarina, por exemplo, é pioneiro no desenvolvimento e no uso da ferramenta, em uso obrigatório desde abril de 2016. Por ser feito de maneira online, o sistema permite o acompanhamento quase que em tempo real de todas as etapas da cadeia de resíduos sólidos no estado, incluindo a geração, o armazenamento, o transporte e o tratamento e disposição final, mesmo quando a origem ou destino dos rejeitos for fora do estado em questão.

A ferramenta unifica o modelo de declaração das empresas geradoras de resíduos – antes feito de maneira isolada e sem um critério único – e facilita o desenvolvimento de políticas públicas mais efetivas nos estados.

“O principal avanço é a segurança do gerador com relação a destinação correta e, sobretudo, a prevenção de passivos e crimes ambientais. Também assegura a rastreabilidade dos resíduos e a confiabilidade dos documentos comprobatórios da destinação final efetuada”, comenta Luiz Gonzaga, presidente da Abetre.