Você está aqui: Página Inicial / Notícias do Setor / Abetre na mídia / NOTA DA ABETRE - Folha de SP

NOTA DA ABETRE - Folha de SP

A propósito da matéria veiculada na Folha de São Paulo, edição de terça-feira, 23 de abril de 2019, no Caderno Cotidiano, B1, com chamada na primeira página, a ABETRE – Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes manifesta: (continua...)

A propósito da matéria veiculada na Folha de São Paulo, edição de terça-feira, 23 de abril de 2019, no Caderno Cotidiano, B1, com chamada na primeira página, a ABETRE – Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes manifesta:

01. A matéria, entre outras afirmações, traz citações do Sr. Edson Tomaz de Lima Filho, Presidente da AMLURB-Autoridade Municipal de Limpeza Urbana que na mesma é chamado de ‘xerife do lixo’ da cidade. Em síntese, a matéria está centrada, em nossa opinião, para o assunto recicláveis com o propósito de estimular a população paulistana a triar resíduos;

02. Entretanto, na matéria há uma informação equivocada: “Com os atuais aterros sanitários já no limite e sem espaço para abrir novos, Lima vê uma solução para o problema: estimular os 12 milhões de paulistanos a separar o lixo domiciliar e aumentar a capacidade da coleta seletiva”;

Inicialmente a ABETRE deixa seu claro posicionamento sobre RECICLAGEM. É amplamente favorável a programas sérios e feitos com profissionalismo responsável, que atendam a PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos, promulgada em 2010;

Incentiva seus associados para, com as melhores práticas, participarem do esforço que se faz para proteger o meio ambiente e evitar problemas de descarte errado de resíduos que comprometa a saúde pública.

Afirma, com toda segurança, que os atuais Aterros Sanitários à disposição da Prefeitura da cidade de São Paulo, não estão no limite. Muito pelo contrário; somente em um deles, o licenciamento já aprovado eleva a saturação de sua capacidade – considerando ingresso de 10 mil toneladas/dia – para o ano de 2043. Um segundo aterro, já tem seu projeto de expansão apresentado à autoridade ambiental do estado. O mesmo projeto prevê 10 a 12 anos mais de capacidade, dentro da mesma quantidade recebida/dia. Portanto não há exaustão e muito menos perspectiva de fechamento.

O que há sim, é um enorme esforço de nossos associados no sentido de trabalhar em projetos de reciclagem com o propósito de economizar cada vez mais suas capacidades de armazenamento visando a prolongar a vida útil de cada empreendimento além, e especialmente, de oferecer valiosa contribuição para o reaproveitamento dos materiais servíveis.

Tanto assim que – por ocasião do Seminário Internacional de Resíduos Sólidos – Intercâmbio Brasil x EUA, realizado em 15.04.2019 – a ABETRE disponibilizou um importante documento-cartilha onde mostra o trabalho dos associados na cultura do ATERRO ZERO DESPERDÍCIO. Uma solução tecnológica integrada e sustentável com triagem + aterro + energia. Um projeto de Multi Soluções Tecnológicas Integradas como mostra as informações a seguir.